O que você precisa saber sobre Doação de Órgãos e Tecidos

Blog de dreenwood :O DOM DO TRANSPLANTE, O que você precisa saber sobre Doação de Órgãos e Tecidos

 

 

Doação de Órgãos e Tecidos: um ato que ajuda ou pode até salvar a vida de uma pessoa.

O que é.

A doação de órgãos ou de tecidos é um ato pelo qual manifestamos a vontade de doar uma ou mais partes do nosso corpo para ajudar no tratamento de outras pessoas. A doação pode ser de órgãos ( rim, fígado, coração, pâncreas e pulmão) ou de tecidos, (córnea, pele, ossos, válvula cardíacas, cartilagem, medula óssea e sangue do cordão umbilical).

Quais e quantas partes do corpo humano podem ser doadas para transplantes?

Rins, pulmões, córneas, válvulas cardíacas, coração, pâncreas e fígados são frequentemente doados. Além destes, temos a doação de intestino delgado, pele e ossos ou até mesmo uma parte completa (mão e face)

Existe limite de idade para ser doador de órgãos e tecidos?

Não , O que determina o uso de partes do corpo para transplantes é o estado de saúde com base em uma avaliação médica do doador. Quais órgãos e tecidos podem ser obtidos de um doador vivo? Rim: por ser um órgão duplo, pode ser doado em vida. Doa-se um dos rins e tanto o doador quanto o transplantado, pode levar um vida perfeitamente normal. Medula Óssea: Pode ser obtida por meio de aspiração óssea direta ou pela coleta de sangue. Fígado e Pulmão: poderão ser doados partes destes órgãos.

Existem riscos para um doador vivo?

Hoje com o avanços tecnológicos e a capacitação dos profissionais da área médica, os riscos estão cada vez menores. Porém, há o risco associado a qualquer tipo de cirurgia e existem relato de doadores que faleceram devido a complicações do procedimento de doação de órgãos Converse com seu médico sobre esses riscos que variam para cada situação.

Qual a chance de sucesso de um transplante?

As chances são altas. Mas o sucesso depende de inúmeros fatores como, por exemplo, o tipo de órgão a ser transplantado, a causa da doença e as condições de saúde do paciente, entre outras. Existem pessoas que fizeram transplante de órgãos há mais de 25 anos. tiveram filhos e levam hoje uma vida ativa e normal.

Quantas pessoas aguardam por um transplante no Brasil?

Atualmente mais de 60.000 pessoas estão em lista de espera aguardando por um transplante compatível. Este número tende a aumentar e menos de 10% recebe um órgão ou tecido doado a cada ano por falta de doadores.

Por que é difícil doar órgãos ?

Existe um desconhecimento geral sobre quem pode doar e o que pode ser doado. Isso dificulta a doação. Desta forma, a maneira correta é procurar esclarecimento e discutir sobre o assunto. Pode ser muito difícil discutir isso com seus familiares e amigos, mas é necessário. Qualquer que seja sua vontade ou desejo, após esclarecer suas dúvidas, é muito importante que sua família saiba disso.

Como devo proceder se quiser ser doador?

A atitude mais importante é informar esse desejo a seus familiares uma vez que, após sua morte, eles decidirão sobre a doação. Quando se pode doar?

A doação de órgãos como rim, parte do fígado e da medula óssea pode ser feita em vida. Para a doação de órgãos de pessoa falecidas, somente após a confirmação do diagnóstico de morte encefálica. Tipicamente, são pessoas que sofreram algum tipo de acidente que provocou um traumatismo craniano ( acidente de carro, moto, queda etc.) ou acidente vascular cerebral (derrame) e evoluíram para morte encefálica.

O que é morte encefálica?

É a interrupção irreversível das atividades cerebrais, causada mais frequentemente por traumatismo craniano, tumor ou derrame. Como o cérebro comanda todas as atividades do corpo, quando este morre, significa a morte do indivíduo.

Quando uma pessoa entra em coma, torna-se um potencial doador?

Não. O coma é um processo reversível. Morte encefálica, como o próprio nome afirma, é irreversível. Uma pessoa somente torna-se potencial doador após o diagnóstico de morte encefálica e a autorização da doação dos órgão pela família.

Há chances de os médicos errarem no diagnóstico de morte encefálica?

Não. O diagnóstico é realizado por meio de exames específicos e pela avaliação de dois médicos - sendo um deles neurologista - com intervalo mínimo de 6 horas entre as duas avaliações. Além disso, é obrigatória a confirmação do diagnóstico por, pelo menos, um dos seguintes exames: angiografia cerebral, cintilografia cerebral, transcraniano ou eletroencefalograma.

Como fazer a doação no momento da morte de um familiar?

Um dos membros da família pode manifestar o desejo de doar os órgãos e tecidos ao médico que atendeu o paciente ou a comissão intra hospitalar de doação de órgãos e tecidos do hospital; pode também entrar em contato com a Central de Transplantes, que tomará todas as providencias necessárias.

É possível que meus órgãos sejam comercializados após minha morte?

Não. O fato de muitas pessoas acreditarem em rumores deste tipo contribui para a diminuição do número de doações, tirando a chance de sobrevivência de vários pacientes que aguardam na lista de espera. Como funciona o sistema de captação de órgãos?

Se existe um doador em potencial, vitima de acidente com traumatismo craniano, ou derrame cerebral, com confirmação da morte encefálica e autorização da família para a doação dos órgãos, a função dos órgãos deve ser mantida artificialmente.

Quem paga pelos procedimentos de doação?

O SUS ( Sistema Único de Saúde ). Como é a cirurgia para a retirada dos órgãos?

A cirurgia para retirada dos órgãos é como qualquer outra e os cuidados de reconstituição do corpo são obrigados por lei (LEI n° 9.434/ 1987). Após a retirada dos órgãos, o corpo fica como antes sem qualquer deformidade. Não a necessidade de sepultamentos especiais.

O doador poderá ser velado e sepultado normalmente. Só é possível ser doador após a morte?

É possível também a doação entre vivos, no caso de órgãos duplos (ex: rim). No caso do Fígado e do Pulmão, também é possível o transplante entre viivos, sendo que apenas uma parte do órgão do doador poderá ser transplantado no receptor.

Quem pode doar em vida? O "doador vivo" é considerado uma pessoa em boas condições de saúde - de acordo com a avaliação médica - capaz juridicamente e que concorde com a doação.

Pela Legislação Brasileira (LEI Nº 10.211, DE 23 DE MARÇO DE 2001), podem ser doadores em vida os: pais, irmãos, filhos, avós, tios e primos, o cônjuge e ainda, os não parentes com autorização judicial.

Descrição das Etapas: 1 -

Hospital notifica a Central de Transplantes sobre um paciente com morte encefálica (doador);

2 - Central de Transplantes repassa a notificação para a OPO (Organização de Procura de Órgão);

3 - OPO contacta o Hospital e viabiliza o doador;

4 - OPO informa a Central de Transplantes se o doador é viável;

5 - Central de Transplantes emite a lista de receptores e encaminha para o Laboratório de Imunogenética (apenas para o Rim);

6 - Laboratório de Imunogenética realiza "crossmatch" e informa para a Central de Transplantes;

7 - Central de Transplantes com a lista definitiva dos receptores para cada órgão, informa as Equipes de Transplante;

Quem paga pelos procedimentos de doação?

O SUS ( Sistema Único de Saúde ).

8 - Equipes de Transplante realizam os transplantes. SISTEMA NACIONAL DE TRANSPLANTES O Sistema Nacional de Transplantes desde sua criação (1997)

tem como prioridade, evidenciar com transparência todas as suas ações no campo da política de doação-transplante, visando primordialmente a confiabilidade do Sistema e a assistência de qualidade ao cidadão brasileiro. O Brasil possui hoje um dos maiores programas públicos de transplantes de órgãos e tecidos do mundo. Com 555 estabelecimentos de saúde e 1.376 equipes médicas autorizados pelo SNT a realizar transplante, o Sistema Nacional de Transplantes está presente, através das Centrais Estaduais de Transplantes (CNCDO's), em 25 estados da federação, e em breve, todas as unidades da federação serão partes funcionantesdo sistema.

       Outras Informações:  http://portal.saude.gov.br/saude/area.cfm?      id_area=1004 Central de Transplante: www.saude.sp.gov.br

PRECISA, SABER

terça 04 maio 2010 22:42



4 comentário(s)

  • catolicismosemsegredo Sex 07 Mai 2010 18:19
    Só para esclarecer o que você escreveu lá no blog sobre a ´´proibiçao de venerar imagens``,pelo que sei a Bíblia é dividida em Antigo e Novo Testamento.Eu vivo no Novo Testamento onde Deus se revelou humano na imagem de Jesus Cristo.A Antiga Lei foi abolida por Cristo.Cristo não veio para acabar com a Antiga Lei,mas acabou.Fique com Deus.

    Daniel P. Silva
  • littleflower Sex 07 Mai 2010 05:11
    Ola vim agradecer sua visitas e seus comentarios e desjar a vc um bom fim de semana
    cheio de paz,bjão fica com Deus..

    Patty
  • lovesandpeace Qui 06 Mai 2010 23:44
    muito bom esse explicativo.. e incentivoooo..
    precisamos mesmo ficar por dentro..
  • littleflower Qua 05 Mai 2010 06:44
    Mtooo boas informações


    beijoos

    Patty


Seu comentário :

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (54.81.53.224) para se identificar     



Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para dreenwood

Precisa estar conectado para adicionar dreenwood para os seus amigos

 
Criar um blog